MARIO SERGIO SPERETTA
   



BRASIL, Sudeste, Homem, de 56 a 65 anos, Portuguese, Livros, Esportes
MSN -
   
Histórico
Outros sites
UOL - O melhor conteúdo
SPERETTA ADVOGADOS ASSOCIADOS
Blog S

Votação
Dê uma nota para meu blog

 


NAS ENTRELINHAS DA VIDA...

                                   Apesar dos critérios utilizados para as crônicas, obviamente que nomes são fictícios, tanto em revistas como em jornais e livros. Em algumas os fatos são verdadeiros, ocorreram, mas qualquer semelhança é mera coincidência. Assim como os tipos e comportamentos das pessoas, muitas vezes escreve-se alguma coisa sobre uma pessoa e a carapuça acaba servindo direitinho, muitas vezes sem que se tenha dirigido a ela. É a consciência pesada pelos erros cometidos. Ou coisas boas, naturalmente. No mundo atual existem pessoas que vivem de maldades, fofocas, que só falam mal da vida alheia. Apostem que não? Ninguém presta só elas. Interessante, o mundo que está errado, essas pessoas não.

                                   E tem se acentuado que determinadas pessoas gostem unicamente de viver em a problemas, no círculo onde se encontram fofocas, intrigas, brigas e gostam, como nunca, de falar mal dos outros. Será que se satisfazem com isso?

                                   Creio que sim. Conheço várias pessoas que são imbuídas de fofocar, falar mal da vida alheia. Muitas vezes por inveja, outras por ciúme, ou por vingança, ou dor de cotovelos... Alias, tem algumas que gostam de gente rica, do status, de estar em meio à sociedade, deixando de lado a sua raiz, a sua humildade, o que prometeu em vidas passadas, por certo!

                                   Haja língua maligna, concorra-se ao prêmio Nobel da maldade, da sem vergonhice. Existem pessoas que se dizem sábias, espertas, transparentes e que, em verdade ocultam quem são a quatro paredes. Ou dentro dela mesma, de si própria, pois o sentimento de dor pelas maldades atravessa o peito, fere o coração e atinge a sua consciência, ferindo-a de morte.

                                   Pessoas maldosas, que talvez pela má educação não souberam ser gente no amadurecer. Nem mesmo para cuidar de uma família, convivente no ambiente de trabalho. Vivem de cuidar do próprio corpo como se ele fosse a última coisa boa que possui e o mundo o quer. E deixam de lado a alma, o espírito. Interessante que existem pessoas que frequentam doutrinas e religiões para evoluírem espiritualmente, mas isso é apenas na aparência. Ouvem, mas não escutam. Por isso, não praticam.

                                   



Escrito por Mário Sergio - Speretta às 15h01
[] [envie esta mensagem] []


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]